sábado, 22 de março de 2014

Blind Guardian 1 - Battalions of Fear (1988)

Fala galera, eu sou o Samedi. Tive a honra de ser convidado para escrever neste blog e logo de cara senti que estava faltando algo... Ninguém até então estava resenhando bandas que tocam o bom e velho Power/Heavy Metal... Um abuso Hahah. Resolvi então começar com uma das bandas que eu mais gosto, e que influenciou muito meu gosto musical, da pré adolescência até agora... O Blind Guardian.

Eu gosto muito de letras com pegadas medievais, sobre batalhas, magos e etc... E o Blind tem como forte inspiração um dos autores que mais influenciou a literatura mundial, o Tolkien (Senhor dos Aneis, Hobbit, Silmarillion). Eles tem varias musicas inspiradas nas obras de Tolkien, inclusive um album inspirado inteiramente no Silmarillion (Night Fall in Middle-Earth). Além de Tolkien, eles tem como inspiração T. H. White escritor britânico famoso que escreveu uma saga sobre o Rei Arthur (O Cavaleiro Imperfeito, A Espada na Pedra...), Stephen King, entre outros autores...

Musicas com letras inspiradas em grandes autores já é o suficiente para conquistar muita gente, mas a banda possui excelentes músicos que evoluíram muito conforme os anos. Porém a pegada da banda também mudou muito conforme o tempo, acarretando até mesmo em discussões sobre os rumos que ela estava tomando e a saída de membros...

Bom, mas vamos começar do inicio. Blind é uma banda alemã que começou com um grupo de amigos, na época de escola. Eles viviam o underground alemão, indo em show, curtindo diversas bandas de heavy/trash  metal da época, e obviamente, formando suas próprias bandas. Algo bem natural e comum em adolescentes "rockeiros" do mundo todo. Exceto pelo fato de que as duas demos deles realmente chamaram a atenção.

A primeira demo se chamava Symphony of Doom, foi lançada em 1985, nesta época a banda se chamava Lucifer's Heritage. Das musicas desta demo, apenas a musica Halloween foi aproveitada para o futuro disco oficial da banda. A musica precisou ser um pouco melhorada e teve o nome mudado para Wizard's Crown.

Em 1986 eles conseguiram grana para investir em outra demo, chamada Battallions of Fear. Em um período mais criativo e com um novo guitarrista, eles fizeram sua primeira musica baseada na obra de Tolkien. A musica Majesty abria a demo. Falaremos mais deste som a seguir.




Com estas duas demos eles assinaram um contrato com um selo independente chamado No Remorse Records e fizeram seu primeiro álbum oficial. Nesta época eles notaram que suas demos sempre ficavam nas prateleiras de Black Metal, nas lojas de musica alemãs. Era devido ao nome da banda "Lucifer Heritage", que não condizia com o tipo de som que eles queriam passar. Portando eles se reuniram e após muitos palpites, escolheram o nome Blind Guardian, sugestão do vocalista Hansi Kursh.

E é ai que a banda Blind Guardian começa. Neste post inicial, seguindo a proposta do blog, vou falar do primeiro álbum deles, o Battalions of Fear.

Battalions of Fear (1988)




Este primeiro álbum, como não poderia deixar de ser, é bem simples, sem muitos efeitos. Ele passa totalmente a ideia de um álbum de um grupo jovem de artistas se esforçando para dar o seu melhor e mostrar sua musica. As pegadas lembram muito Helloween e Iron Maiden, obvias inspirações dos membros da banda. Porém isto não é ruim, pelo contrario, este disco alavancou a banda e chamou a atenção de nada mais nada menos do próprio Kai Hansen (Gammaray, Helloween). Eu gosto muito das pegadas dos primeiros álbuns da banda, acho que tem um som mais puro e simples, me lembra o underground... Mas enfim, sentimentalismo de lado, vamos a resenha das musicas:

1 - Majesty:
Este som é demais, pauleira pura do começo ao fim. Bem estilo speed metal, é uma musica que te deixa sem folego. E a ideia é esta mesmo. A musica fala sobre o caminho de Frodo até a Montanha da Perdição. Quem leu ou assistiu o Senhor dos Anéis, sabe que a saga do pequeno Hobbit foi sofrida e é isto que a musica passa.

Ela começa com as seguintes frases berradas pelo Hansi:

"Now the time has come for to leave this land
Take my charge with pride sacrifice"


(Agora, chegou o tempo de deixar essa terra. Tomo minha carga com orgulhoso sacrifício)

Obviamente falando do Frodo e do Um Anel. A musica segue cada vez mais tensa ("caçado pelos orcs sem Gandalf para me ajudar"). E o ritmo não para, a letra fala do olho de Sauron procurando por você, sobre ser caçado pelos Nazgul, sobre gritos em uma terra escura, estar perdido, sem lugar pra fugir, tendo que correr... Sempre que ouço me arrepio. Emoções que eu passei lendo os livros, são passadas em uma musica épica de 8 minutos. Eu acredito que este som, tenha sido um dos principais sons que diferenciou a banda de tantas outras bandas de jovens alemães na época, e chamou a atenção de gravadoras e do publico em geral. 

Por fim o refrão:

"Oooh Majesty
Your kingdom is lost
And you will leave us behind
Oooh Majesty
Your kingdom is lost
And ruins remind of your time
Run, run, run
Behind
Run, run"


("Ohh Majestade, seu reino esta perdido e você nos deixará para trás. Ohhh Majestade, seu reino está perdido e as ruinas lembram do seu tempo. Corra, corra, corra, atrás, corra, corra...")

Pauleira e velocidade pura, total speed metal, musica inspirada no livro "A Coisa" do Stephen King, onde crianças tem que lidar com uma entidade maligna, na infância, e anos depois quando ela retorna. 

"We're watching our own agony many years ago

Seven little children stand against the ghost
Believing is the answer but you've lost before
Find back to your infancy it's time to die"

(Estamos assistindo nossa própria agonia de muitos anos atrás, sete crianças pequenas contra um fantasma, acreditar é a resposta, mas você perdeu antes, encontre volta para sua infância, é tempo de morrer...") 

Refrão empolgante, daqueles feitos para cantar bem alto e em coro: 

"Guardian, Guardian, Guardian of the Blind
Now it feel the curse of heaven
Guardian, Guardian, Guardian of the Blind
Now it feel the curse of the child"

("Guardião, guardião, guardião dos cegos. agora ele sente a maldição dos céus. Guardião, guardião, guardião dos cegos, agora ele sente a maldição das crianças.")

3- Trial by the Archon:
Uma rápida musica instrumental que transporta o ouvinte até o inicio da ótima Wizard's Crown. 

4- Wizard's Crown:
A antiga musica "Halloween" do Symphony of Doom, primeira demo da banda, que foi reaproveitada, melhorada e se tornou a ótima Wizard's Crown. 
A musica fala sobre feiticeiros, rituais e magias, dizem que ela fala a respeito do Aleister Crowley
O refrão é o mais grudento do album, daqueles que fica na cabeça mesmo depois que a musica acaba...

"Halloween - The wizard's crown I'll take - on Halloween
Halloween - But there is no return - on Halloween..."

("Halloween, eu levarei a coroa do mago no Halloween, mas não há volta no Halloween...")

5- Run for the Night:
Outra musica muito boa, com ótimo refrão. Vejo muitas referencias ao senhor dos anéis aqui, apesar de não ter encontrado nada oficial dizendo que a musica é inspirada em Tolkien (embora muitos outros escritores e ouvintes concordem comigo e colocam esta musica na lista, como as que tem referencia de Tolkien).

"Senhor da escuridão se apoderando da coroa do mundo todo" (Sauron ?), "Suas criaturas irão me matar e envenenar minha alma" (frodo envenenado pela lamina dos Nazghul ?), "Eu vejo a colina mas ela está tão longe, eu sei que não posso alcança-la" (Montanha da Perdição ?), "Ele esta destruindo minha vontade, até quando posso ficar aqui ?" (Sauron dominando o portador do anel ?)...
Enfim, inspirada ou não em tolkien, Run for the Night é uma ótima e empolgante canção. 

6- The Martyr:
Acho muito irônico esta musica no album, por que no inicio a banda se chamava "Lucifer's Heritage, e por causa deste nome, as demos da banda ficavam nas prateleiras de black metal. E esta musica fala sobre Jesus Cristo haha
Musica mantem o ritmo rápido do resto do album. A letra é ótima, mostra toda a Paixão de Cristo, os 3 reis magos, os apóstolos, a traição de judas e por ai vai. 

Gosto destas passagens:

"Messiah - Liar - Our burning desire
He is the king without a crown
We will set him to his throne
Give me 30 p. of silver and I'll be your man"


(Messias, mentiroso, nosso desejo queimando. Ele é o rei sem coroa, nós o fixaremos ao trono dele (cruz). Me de 30 moedas de prata e eu serei o seu homem (Judas)") 

"Now drink my blood for the new testament
This is my body you eat
One of you twelve is the one who betrays
Better that he's never born"


("Agora beba o meu sangue para o novo testamento. Este é o meu corpo que você come. Um de vocês doze é aquele que traí. Melhor que ele jamais nascerá.")

7- Battalions of Fear:
Finalmente chegamos na musica tema do álbum. Vocês puderam notar até aqui o quão amplo são os temas das musicas da banda, neste álbum. Mesmo com um instrumental e ritmo muito parecido com outras bandas de maiores sucessos na época. As letras falam de aventura medieval (Tolkien), de livro de terror (Stephen King). de ocultistas (Aleister Crowley) e até de Jesus Cristo... 

Agora é a hora de um tema politico. Battalions of Fear é uma critica a politica de Iniciativa Estratégica de Defesa do antigo presidente dos USA, o Ronald Reagan
Um programa de defesa lançado em 1983 que visava proteger o USA de ataques nucleares da URSS (auge da guerra fria) e que era conhecido como "guerra nas estrelas". Este programa iria demorar 20 anos para ser implantado com sucesso e gastaria quase 200 bilhões de dólares. Ronald Reagan pretendia colocar um "escudo espacial" (rede de satélites) protegendo os USA, com a capacidade de mandar misseis interceptadores direto do espaço. Se fosse concretizado o programa daria monopólio espacial ao USA, além da primazia nuclear, ou seja, eles poderiam atacar a URSS sem se preocupar em serem atacados de volta. Isto acabaria com o equilíbrio de poderio nuclear da guerra fria, conhecido como MAD (Destruição Mutua Assegurada) dando vitoria e total controle aos USA. 

Este programa causou muita polemica na época, muitos consideravam mirabolante e utópico, enquanto outros consideravam terrível e ameaçador. O ex presidente Bush tentou revitalizar parte do programa no governo dele, mas se focando em misseis em terra. O que voltou a gerar polemica, atualmente o programa foi parcialmente parado pelo atual presidente do USA, Obama.  

Voltando a musica, ele é empolgante, e tem todo o gosto de uma musica de revolta e critica. 

"Battalions of fear
They search and they scream for the American dreams
Battalions of fear
The way of R.R. to show he is the star
Battalions..."


("Exércitos do medo. Eles procuram e eles gritam pelo sonho americano. Exércitos do medo. A forma de R.R* de mostrar que ele é uma estrela. Exércitos...")

*Ronald Reagan

8- By the Gates of Moria:
Musica instrumenta, inspirada no senhor dos anéis. A musica é derivada da sinfonia numero 9 do "Novo Mundo" do compositor Tcheco Antonin Dvorak. Este esquema de incorporar musicas clássicas a alguma outro tipo de musica (musica pop, heavy metal) se chama "Rock me, Amadeus". E é usado por diversos artistas. Até por que boa parte das musicas clássicas são de domínio publico.

9- Gandalf's Rebirth:

Outra musica instrumental, como faixa bônus. Apesar de não ter letra, acredito que o nome seja referencia ao momento que Gandalf ressurge como "o Branco", após a batalha contra o Balrog nas Minas de Moria. 




Bom, e assim termina o primeiro Album do Blind Guardian, no próximo Album, o Follow the Blind, já é possível ver um amadurecimento da banda, além de contar com a participação do Kai Hansen. 

Espero que tenham gostado, infelizmente eu não tenho tempo para postar toda semana, mas em breve faço a resenha do Follow the Blind.

Grande abraço galera.

Bards we are! Bards we will be!

P.S - Quem tiver interesse, acessem o Blind Guardian Brasil, lá contem muita informação sobre a banda. #Fikadika ;)

6 comentários:

  1. Grande Samedi! Antes eu só conhecia Blind por cima, agora to curtindo cada vez mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. aee valeu, aguarde q novas resenhas virão huhuh

      Excluir
  2. Se vai resenhar todos os álbuns, peço atenção especial ao Nightfall in Middle-Earth (meu favorito, acompanhado de leituras da referência [não vou dar spoiler aqui, haha]) e do Demons and Wizards (outra leitura obrigatória!).
    Aguardaremos ansiosamente por seus posts.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tava pensando mesmo no demons and wizards, até pq tbm sou muito fã de iced earth huhuhu mas tempo é escasso, por enquanto, me mantendo no blind e garbage huhu
      E sim, nightfall terá uma atenção super especial, assim como o Imagination (meu favorito haha).

      Excluir
  3. Caraca, voltei à minha adolescência ouvindo novamente esse álbum. Há quanto tempo não ouvia esses sons!
    E que surpresa saber que inicialmente a banda se chamava Lucifer's Heritage. Nada a ver mesmo hahaha
    Boa escolha, Samedi!

    ResponderExcluir
  4. Ah, "Rock me, Amadeus" é o nome de uma música do Falco, bem conhecida na década de 1980.
    Acho que o link que colocou apenas faz uma referência a essa canção. Não me parece que seja o nome da estratégia de usar trechos de música clássica...

    ResponderExcluir